quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Luzes em mim


A vida chama... Clama... Chora e ri...
O tempo passa, por trás de vidraças... Mórbidas cicatrizes na alma...
Voe... Elabore ritos... Mova-me... Construa à memória... Curve-se ao riso... Mova-me por entre os teus dedos...
Quando a vida gosta... O Amor inflama... Dança... Canta... Ilumina-me com a tua boca.
Os versos presos... Perda de tempo...
O vazio que enxagua... Grita?... Ficar na gruta... Púrpura encruzilhada?
Olhei e não vi... Tantos vagos atributos... E tu surdo?
Luzes em minha face... Perdemos a oportunidade de colher as crostas de um dia único... Quando fechados os olhos...
Um dia...Absurdamente, apaixonado... Dois caminhos, todos levam ao meu peito...
Isso não tem mais jeito.

2 comentários:

  1. Nadia,que escritora maravilhosa vc é!Poesia linda que chega a dar nó na garganta!Bjs,

    ResponderExcluir
  2. as palavras parece que foram medidas PARA ENCAIXAR EM ALUM SENTIDO.SENTIDO.

    ResponderExcluir